Click here for English version
Cliquez ici pour la version en français

Por Diana Morais
Coach de Consciência

Este título pode até incitar uma linha de pensamento de que alguns nasceram para ser menosprezados e outros para ser valorizados, quando de fato, somos todos grandes. Não precisamos desvalorizar ninguém para nos sentirmos maiores. Esta é a política de retaliação, que diga-se de passagem, quase levou países e a humanidade a beira da extinção.

Se a atitude de outra pessoa incomoda a ponto de querermos ensiná-lo uma lição, pense novamente. Eu garanto que existe algo que você não esta vendo no seu próprio comportamento. Em outras palavras, você não está se enxergando. Mesmo que essa pessoa que incomoda seja uma criança de 5 anos de idade e que parece que não entende nada da vida. As crianças têm muito mais a nos ensinar sobre nós mesmos do que nós lhes damos crédito.

Pode ser que essa pessoa seja um marido que constantemente faz coisas que irritam. Ele deixa os sapatos espalhados pela casa ainda que a esposa tenha dito 50 vezes o contrário. Quanto mais a mulher corre atrás para corrigi-lo, mais barreiras ela cria para viver uma relação de harmonia. Por outro lado, ele não se contém pois não percebe o que esta fazendo realmente. Por trás dessa atitude existe uma percepção sobre como ele acha e acredita que uma relação entre casais deve ser, e quem tem que estar no controle. Se nenhum deles agir de forma madura, de superar a irritação e ter um controle emocional sobre si próprio, eles estão destinados a uma relação superficial onde ninguém se esforça para viver melhor.

Reconhecer nosso comportamento nos outros é o desafio permanente para  mudar nossa percepção sobre quem somos de verdade, independe de nossa simpatia (ou falta de) pelo mensageiro.

Mude agora e viva um efeito maior e melhor.