Click here for English version

Por Ary Alonso Millan(†)

Por que temos tanto medo de ceder? Porque existe uma inteligência para nos prover a sobrevivência.E, por incrível que pareça, quando cedemos, temos a impressão de que não sobreviveremos à sensação de perda que sentimos.O ser humano pensa, dentro de sua mente racional e lógica, que tem desejo por coisas, mas, na verdade, estamos famintos apenas de sentimentos e sensações de prazer.

Pensamos com base em nossa história, aprendizado e experiência, o que limita nossos prazeres; porque achamos que só podemos gostar do que já conhecemos.Assim, a maioria das pessoas não gosta de mudar de cadeira no escritório. Imagine mudar de função ou mesmo de trabalho! Ceder é sempre aceitar uma mudança nas nossas referências racionais e lógicas; por isso temos tanta dificuldade em nos entregar ao fluxo natural da vida.

Acontece que, sem essa liberdade, ficamos amarrados e agimos como pessoas tacanhas. Teimosia gera o bloqueio que nos impede de aprender, mesmo quando dá uma sensação de controle aparente. Quando entendemos que somos a própria inteligência criadora e que o nosso propósito é ter prazer com tudo, fica muito mais fácil fazermos o que muitos chamam de entrega. Até porque aí enxergamos que estamos nos entregando para nós mesmos – a única e verdadeira entrega. Não ceder ao que aconteceu, ao passado, só atrasa o prazer na direção do nosso desejo.

Abandone a teimosia do conhecido, para viver a plenitude da criação do novo.

Cuide da causa e controle o efeito.