Click here for English version

Por Ary Alonso Millan(†)

Pra sempre! Este talvez seja o voto mais difícil de se fazer.

Primeiro porque as pessoas acreditam na finitude, mesmo com a ciência tendo declarado, há doze anos, que a natureza de nossas células é a de se regenerarem infinitamente.

Depois pelo fato de que percebemos o funcionamento das coisas de forma cíclica no mundo físico.

Não somos capazes ainda de viver a saúde, a prosperidade e o amor pra sempre, pela simples questão de que, na nossa cabeça, tudo deve ter um fim.

Então acontecem mudanças em nossas vidas, que nos tiram do conforto do automático, provocando a necessidade de uma nova atitude. Pronto, já começamos a pensar que tudo está errado e que deve ser corrigido.

Se aprendêssemos que mudar é o que há de melhor, viveríamos em paz permanente.

Como não percebemos que o Universo está em mudança permanente e infinita? Por que nos sentimos tão contrariados com as coisas que não são do nosso jeito?

 Não quer dizer que acabou, só que não será como o nosso ego imaginou…

Mas, tampouco quer dizer que é contrário ao nosso desejo.

Quando algo nos contraria basta que aceitemos a perfeição da causa e efeito, para que tudo volte a ser parecido com a nossa imaginação.

Se algo acaba ou termina, aceite o fim para que um próximo ciclo reinicie em outro momento, com mais maturidade, com outro trabalho ou outro amor.

A vida é pra sempre, as relações, a prosperidade e a saúde também são, mas é preciso que estejamos dispostos a manter a nossa integridade, independente do processo que acontece ao nosso redor.

Abandone a lagarta para poder ser a borboleta de seus sonhos.
Cuide da causa e controle o efeito.