Por Ary Alonso Millan(†)

Ser o criador de tudo que queremos é a base do nosso trabalho aqui na Terra.

No entanto, em geral, o fazemos de forma pouco consciente porque nem sempre nos percebemos assim. Pior: esquecemos, na maior parte do tempo, que tudo aquilo que falamos ou fazemos é a semente do nosso futuro.

Usamos nossa energia para rejeitar o resultado das ações passadas. Como podemos não aceitar tudo que nós mesmos criamos? Ter uma memória muito curta nos atrapalha bastante. Tente lembrar o que comeu na semana passada; no mínimo, terá que fazer um tremendo esforço e, provavelmente, não vai conseguir.

A outra e principal questão é porque não sabemos exatamente como funciona. Infelizmente, não inventaram ainda a cartilha do bem-viver, ou melhor, inventaram muitas, e cada uma tem um pedaço da informação. Ainda não temos uma completa.

Mas é possível observar e entender de uma visão diferente do senso comum. Basta olhar à nossa volta, para ver que não está funcionando.

Se queremos mudar nossa realidade, em qualquer área que seja, precisamos mudar a consciência. Equivocadamente, achamos que ela pode ser mudada intelectualmente, com autoconhecimento, por exemplo.

Na verdade, o que muda a consciência, que irá estabelecer novos acontecimentos no futuro, é o nosso comportamento. Com uma atitude diferente, diante das coisas que se repetem em nossa vida, criamos a consciência que vai trazer a realidade que desejamos.

Infelizmente, preferimos dar explicações em vez de mudar nossa atitude. Assim não só continuamos vibrando e recebendo de volta tudo aquilo que não queremos, como também rejeitamos a nossa própria energia-combustível que fará falta no envelhecimento. Cuidado! Explicação mata.

Quem é o criador consciente de sua realidade futura não perde “tempo” com o passado e suas explicações: muda o comportamento e cria a perfeição no seu dia dia.