Por Diana Morais
Coach de Consciência

Em 2008, o astrofísico Neil de Grasse Tyson disse à revista “Time” que o “fato mais impressionante do universo” é que todos os átomos têm a potencialidade da vida. A cadeira em que você senta, a poeira cósmica, o sol, o “gadget” que você utiliza, eles todos têm em seus átomos os elementos essenciais à existência da vida.

No entanto, eu, você e os sete bilhões de colegas mundo afora somos os únicos que conseguimos criar e mudar a nossa realidade. Por quê? Será que o motivo é que nós somos seres pensantes e nos desenvolvemos racionalmente, ou que construímos uma sociedade capitalista e produtiva? Melhor ainda: por que fomos abençoados por uma entidade divina que comanda o mundo atômico? Não, não é nada disso. Como diz a célebre frase do filme “Star Wars”: “A habilidade de falar não faz você inteligente”. Nós conseguimos mudar a nossa realidade porque somos a inteligência que governa o universo – que esta em constante expansão na direção do ilimitado.

Entretanto, definimos uma infinidade de regras e conceitos que estabelecem seres como superiores e inferiores, puros e impuros, positivos e negativos, para depois querer buscar a união e integração de todos com campanhas como “somos todos macacos”. Em pleno século XXI, essa linha de pensamento não tem o menor sentido. É contraditório aceitar tanta limitação com tanta informação cientifica mostrando o contrário, que nada é humanamente impossível.

A vida tem um funcionamento próprio, e não tem nada a ver com as crenças que carregamos. Todas as escolhas que fazemos são comandos que damos à nossa inteligência criadora metafísica, que simplesmente obedece. Sendo assim, por que manifestamos consciências que não desejamos? Falamos e agimos de forma irresponsável buscando um tipo de sensação de “acerto” que combine com alguma estatística. Como se o propósito da vida fosse definir o que é certo e errado…

Mude agora e viva outro efeito.