Click here for English version(†)

Por Ary Alonso Millan

Nem todo mundo gosta de sonhar, mas é o que estamos fazendo quando imaginamos qualquer tipo de realidade. Os sonhos não são apenas uma espécie de pensamento que temos enquanto dormimos. Criar a situação perfeita para cada setor de nossas vidas faz parte do propósito de obter prazer com tudo.

A diferença entre um sonho vazio e um preenchido está na nossa capacidade de manter o comportamento e a atitude sintonizados com o desejo que definimos. De fato, falar e agir na direção contrária aos nossos sonhos é muito mais comum do que parece.

O ser humano vem aprendendo, ao longo dos séculos, que o sofrimento faz parte da vida, que não realizar os anseios é o que acontece com a maioria. Pelo entendimento social, moral e ético, só uma minoria é capaz de realizar seus sonhos. Como se existissem pessoas “escolhidas” pelo Universo.

A incapacidade de perceber que somos muito mais do que uma consciência física “encapsulada” num corpo é a maior barreira para alcançarmos e realizarmos todos os nossos desejos. Outra coisa que nos atrapalha muito é que não sabemos, exatamente, aquilo que queremos…Temos uma dificuldade natural para definir objetivos e acabamos criando histórias para vivermos algum personagem. Depois nos perdemos e já não sabemos bem quem somos nós – o que dirá saber o que queremos.

Confundimos a nossa busca sem saber o que é real, se estamos vivendo um modelo de vida que imitamos da TV ou de uma vitrine. É fundamental definir quem queremos ser a partir dos nossos sentimentos e desejos, nunca baseado na vida dos outros.

Estabeleça a sua verdade interna para nunca mais ter sonhos vazios.

Cuide da Causa e controle o Efeito.